90 Anos da “Enciclopédia do Futebol”

Por José Rezende

Quando alguém é considerado uma enciclopédia, está sendo reconhecido pelo seu vasto conhecimento em diversos assuntos, isto é, o sabe tudo. É o caso de Nilton Santos com relação ao futebol. Ele ao longo de sua extensa e brilhante carreira nos deu verdadeiras aulas nos gramados do Brasil e do mundo de como jogar futebol, razão pela qual ficou conhecido como a “Enciclopédia do Futebol” e eleito pela FIFA como o maior lateral-esquerdo da história do futebol mundial.

No sábado dia, 16 de maio de 2015, antes da partida Botafogo x CRB pela série B do campeonato brasileiro, o Botafogo homenageou o grande Nilton na data em que ele completaria 90 anos. De parabéns a diretoria alvinegra. Lembrar os seus ídolos é eternizar a memória não apenas do Botafogo. É também a participação daqueles que nos encantaram nos mais diversos palcos esportivos. E Nilton Santos foi um dos maiores personagens do mundo do futebol.

Em 1948, Nilton deixou a Ilha do Governador, onde jogava no Flexeiras, embarcando na velha barca da Cantareira. Desceu na Praça XV e rumou para a sede do Botafogo de Futebol e Regatas, em General Severiano. Treinou, seu futebol encantou o Presidente Carlito Rocha, que o contratou de imediato.

Começava a eterna história de amor entre Nilton e o Botafogo. A estreia foi num amistoso com o América Mineiro com uma derrota por 2 a 1. Na 1ª rodada do campeonato carioca, Nilton atuou na equipe de aspirantes vencendo o São Cristóvão. O time principal perdia para os cadetes por 4 a 0.

O técnico Zezé Moreira fez várias mudanças na equipe para a segunda partida, inclusive escalando Nilton Santos na lateral esquerda. O Botafogo não perdeu mais, decidindo o título com o Vasco na última rodada quando venceu por 3 a 1, sagrando-se campeão carioca. Nilton sempre afirmava: “Eu fui campeão invicto”.

No ano seguinte, convocado por Flávio Costa, Nilton estreou contra o Paraguai em disputa da Taça Osvaldo Cruz. O Brasil ganhou por 2 a 0, em São Januário.

Na condição de reserva de Augusto, o atleta alvinegro foi campeão sul-americano em 1949 e vice-campeão mundial em 1950; e campeão pan-americano em 1952, no Chile.

Com titular absoluto, Nilton Santos conquistou dois títulos mundiais. Em 1958, na Suécia, marcou o 2º gol brasileiro na vitória de 3 a 0 sobre a Áustria, no jogo de estreia. Quatro anos depois, veterano com 37 anos, ajudou o Brasil a se sagrar bicampeão do mundo, no Chile.

No Botafogo, Nilton foi campeão carioca de 1957 e bicampeão estadual de 1961/1962, além de vários títulos em torneios no exterior.

A despedida do maior lateral esquerdo do mundo aconteceu no dia 13 de dezembro de 1964 com uma vitória sobre o Flamengo por 1 a 0.

Longe dos refletores e dos aplausos das multidões que se encantaram com seu futebol, internado numa clínica na Gávea, a enciclopédia do futebol convivia lamentavelmente com o Mal de Alzheimer.

No dia 27 de novembro de 2013, Nilton partiu, deixando em cada um de nós eterna saudade.

Parabéns, eterno Nilton Santos!

O mestre Armando Nogueira, brilhante jornalista e apaixonado botafoguense, em momento de rara inspiração escreveu:

Tu, em campo, parecias tantos,

É, no entanto, que encanto!

Eras um só, Nilton Santos.

  • O garoto Nilton com seus companheiros do Flexeiras da Ilha do Governador, em 1939.

F 01

  • Paraguaio e Nilton Santos dois novatos alvinegros e campeões cariocas em 1948.

F 02

  • Nilton na seleção brasileira no dia se sua estreia, antes da partida contra o Paraguai vencida pelo Brasil por 2 a 0, em São Januário: Juvenal, Nilton Santos, Danilo, Bauer, Castilho, Bigode e Johson; Mário Américo, Friaça, Maneca, Baltazar, Pinga e Rodrigues.

F 03

  • Chegada dos jogadores brasileiros na concentração de Araxá, local da primeira fase da preparação para a Copa do Mundo de 1950. Vemos Chico, Jair, Ademir e Nilton com o trombone.

F 04

  • Nilton recebe do Presidente Getúlio Vargas a medalha de campeão Pan-americano de 1952, no Chile.

F 05

  • Nilton e Bosik saem de campo após serem expulsos do jogo Hungria 4 x Brasil 2, na Copa do Mundo de 1954. A partida ficou conhecida com a “Batalha de Berna”.

F 06

  • No vestiário do Botafogo, após a vitória de 6 a 2 diante do Fluminense, Nilton e Edson comemoram o título de campeão carioca de 1957 com uma boa chuveirada.

F 07

  • Nilton marca o histórico gol contra a Áustria na estreia do Brasil na Copa do Mundo de 1958, após tabelar com Mazzola. Na vitória por 3 a 0, Nilton fez o segundo gol brasileiro.

F 08

  • Elenco do Botafogo bicampeão estadual de 1961/1962. Mais uma conquista de Nilton Santos.

F 09

  • No jogo de despedida de Nilton Santos, o Botafogo enfrentou o Flamengo, no Maracanã, em 13 de dezembro de 1964. Nilton recebeu o troféu, em sua homenagem, do rubro-negro Carlinhos. Os alvinegros venceram por 1 a 0 gol de Roberto.

F 10

  • Em 1971, quando exerceu o cargo de diretor alvinegro, Nilton após a partida com o Atlético Mineiro, acompanhou Armando Marques até o acesso do vestiário dos árbitros, no Maracanã, e o agrediu com um bofetão. Nilton dizia que Armando prejudicou o Botafogo em várias oportunidades. O time mineiro venceu por 1 a 0, no dia 19 de dezembro de 1971. No ano seguinte, a foto de José Santos ganhou o Prêmio Esso de Fotografia.

F 11