Reunião Acerj e Gepe

Acerj e PM discutem sobre segurança de profissionais de imprensa

Ainda em decorrência dos graves incidentes ocorridos durante e após o jogo entre Vasco e Flamengo, no dia 8 de julho, em São Januário, dirigentes da ACERJ e o comandante do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (GEPE), major Sílvio Luiz, da Polícia Militar, se reuniram na sede da Associação na quinta-feira (27/7/2017) para discutir ações que possam garantir a segurança dos jornalistas em coberturas de eventos em estádios e centros de treinamentos localizados no Estado do Rio.

Depois de ouvir ponderações do presidente da ACERJ, Eraldo Leite, o major fez um relato minucioso de como é feito o trabalho do GEPE para cada jogo no Rio que reúne pelo menos um dos quatro grandes clubes da cidade e se prontificou a agir para assegurar a segurança dos profissionais de imprensa escalados para a cobertura de jogos de futebol.

Reunião Acerj e Gepe
Major Sílvio Luiz, Eraldo Leite, Ricardo Gonzalez e Sílvio Barsetti.

Sobre a situação específica de São Januário, o major disse que é possível destacar alguns policiais para ajudar a segurança privada do clube a evitar agressões aos cinegrafistas que trabalham na arquibancada do estádio. Isso valeria também para as proximidades das cabines de Rádio e TV.

Embora tenha ressaltado que a PM não tem, a princípio, acesso às sociais de São Januário e também aos setores dos camarotes, o major Sílvio Luiz deixou claro que a PM poderia abrir exceção em jogos de risco para reforçar a proteção aos jornalistas. Declarou que isso teria de ser tratado pontualmente e, de preferência, em sintonia com o clube. Os repórteres de jornais impressos e digitais e de sites de notícias da Internet costumam se acomodar em um camarote na cobertura de jogos em São Januário.

Sobre relatos de ameaças e constrangimentos, supostamente de traficantes, a equipes de imprensa que acompanham treinos do Fluminense no Centro de Treinamento do clube, na Cidade de Deus, o major Sílvio Luiz orientou a ACERJ a fazer um pedido especial de reforço de segurança para o Comando Geral da PM do Rio. A ACERJ encaminhará ofício à PM pedindo policiamento no acesso ao CT em dias de atividade do time do Fluminense no local.

No encontro na sede da ACERJ estiveram presentes, além do major e de Eraldo Leite, mais dois dirigentes da Associação: o vice-presidente Ricardo Gonzalez e o diretor financeiro Sílvio Barsetti.

Veja também: Diretoria da Acerj debate questões de segurança com Vasco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *