Atletas Brasileiros Vendem Café nos Estados Unidos

A delegação brasileira embarcou para Los Angeles, sede dos Jogos Olímpicos de 1932, no navio Itaquicê, levando a brasileira Maria Lenk. Aos 17 anos ela foi a primeira mulher sul-americana presente numa olimpíada, participando de três provas: 100 metros livres, 100 metros de costas e 200 metros de peito.

Após quase um mês de viagem, a delegação chegou a Los Angeles. Era preciso pagar um dólar, por pessoa, como taxa de desembarque. O chefe da delegação só dispunha de 24 dólares para 87 integrantes.

Depois de algumas discussões, veio a ordem: desembarcarão alguns dirigentes e os atletas considerados de maiores possibilidades no desempenho em suas respectivas provas.

Os demais prosseguiram viagem até São Francisco na esperança de vender e desembarcar o café, que fazia parte da bagagem. A venda do principal produto da economia brasileira era para cobrir parte das despesas com a ida aos jogos.

Participamos do atletismo, natação, polo-aquático, saltos ornamentais, remo e tiro esportivo. O corredor Adalberto Cardoso era um dos que não tinham desembarcado. Porém, sua vontade de participar da prova dos 10 000 metros era tanta, que ele fugiu do navio, percorreu 19 quilômetros até o Estádio Olímpico, chegou 10 minutos antes da largada e correu descalço.

  • Navio Itaquicê que levou a delegação brasileira aos Estados Unidos.

  • O Presidente Getúlio Vargas ao lado de Maria Lenk, a bordo do Itaquicê, por ocasião do embarque da delegação brasileira para os Estados Unidos.

  • A atitude de Adalberto Cardoso foi destaque na imprensa.