Em Berlim, a Derrota da Superioridade Racial

Por José Rezende

Nos Jogos Olímpicos de Berlim, em 1936, o ditador Adolfo Hitler viu Jesse Owens derrotar os atletas alemães. O negro norte-americano com suas vitórias nas provas de atletismo derrubou a política da supremacia racial branca defendida por Hitler.

Três anos depois, em 1939, as forças militares alemães invadiram a Polônia dando início à Segunda Guerra Mundial. O Brasil esteve presente nas seguintes modalidades esportivas: atletismo, basquete, ciclismo, esgrima, natação, pentatlo moderno, remo, tiro esportivo e vela.

Nomes que ficaram conhecidos na história do esporte brasileiro fizeram parte da nossa delegação. No atletismo, Sylvio de Magalhães Padilha, ex-presidente do COB, ficou em quinto lugar na prova dos 400 metros com barreira. Na natação, Maria Lenk teve ao seu lado Siegling Lenk, sua irmã, Scyla Venâncio, Helena de Moraes e Piedade Coutinho. Esta última conseguiu o quinto lugar na prova dos 400 metros nado livre.

O ex-presidente da CBD/CBF e da FIFA, João Havelange, cujo nome completo é Jean Marie Faustin Godefroid Havelange, integrou a delegação do Brasil, disputando os 1500 metros nado livre.

O basquete foi incluído pela primeira vez nos Jogos Olímpicos. A seleção masculina do Brasil terminou em nono lugar.

A eclosão da 2ª Guerra Mundial impediu a realização das Olimpíadas de 1940 e 1944. A frustração tomou conta de muitos atletas brasileiros. A que mais sentiu foi Maria Lenk, que certamente seria medalhista olímpica.

Terminada a guerra com a rendição da Alemanha e da Itália, restava o Japão, integrante do eixo ao lado do nazismo de Hitler e do fascismo de Mussolini, baixar armas.

Em 1945, os Estados Unidos explodiram duas bombas atômicas sobre o território japonês. As cidades atingidas foram Hiroshima e Nagazaki.

O COI (Comitê Olímpico Internacional) iniciou a organização da próxima olimpíada. Ainda se recuperando dos efeitos da guerra, Londres foi escolhida para sediar a XIV Olimpíada, em 1948.

  • Na piscina improvisada no navio que as levou para a Europa, Maria Lenk, Scyla Venâncio e Siglinde Lenk treinam para os jogos olímpicos de Berlim.