Memória Esportiva: Em Sidney, uma olimpíada ecológica

Por: José Rezende

O compromisso assumido pelos australianos em realizar os XXVII Jogos Olímpicos, respeitando o meio ambiente, foi totalmente cumprido.

A energia solar forneceu eletricidade e água quente para a Vila Olímpica, os móveis do alojamento foram fabricados com madeira reciclada e a água das chuvas abasteceu o local onde os atletas estavam hospedados.

Em 2000, na Austrália, o Brasil não conseguiu nenhuma medalha de ouro. Foram seis medalhas de prata e quatro de bronze.

Os medalhistas de prata e as suas modalidades:

Atletismo – equipe dos 4 x 100 metros formada por  André Domingos, Claudinei Quirino, Edson Loureiro Ribeiro e Vicente Lenilson;

Judô – Tiago Camilo, peso leve; e Carlos Honorato, peso médio;

Vela – Robert Scheidt, classe Laser;

Vôlei de praia – a dupla feminina Adriana Behar e Shelda; e a dupla masculina Ricardo e Zé Marco.

A seleção feminina de basquete ficou com a medalha de bronze. O mesmo aconteceu com Álvaro Afonso de Miranda Neto (Doda), André Johannpeter, Luiz Felipe Azevedo e Rodrigo Pessoa integrantes da equipe de hipismo.

Rodrigo Pessoa montou aquele que era considerado o melhor cavalo do mundo, Baboulet Du Ronet. Para surpresa de todos,o cavalo refugou na prova final, tirando a possibilidade do nosso cavaleiro de tentar a medalha de ouro.

Os velejadores Marcelo Ferreira e Torben Grael, na classe Star também  ficaram com o bronze.

Na natação, a equipe formada por Jayme, Edvaldo Valério, Fernando Scherer, o Xuxa, e Gustavo Borges foi a terceira colocada, obtendo a medalha de bronze.

 

foto 01

  • O bonze, comemorado como ouro pelos atletas brasileiros de natação

 

foto 2 getty imagem

  •  Torben Grael e Marcelo Ferreira comemorando o bonze / Foto: Getty Imagem