No México Protestos e em Munique Terror

Por José Rezende

As boinas negras e os punhos erguidos e cerrados foram utilizados pelos atletas negros norte-americanos Tominie Smith, medalha de ouro, e John Carlos, medalha de bronze, no pódio, após a prova dos 200 metros rasos. O mesmo aconteceu com Lee Evansd, Larry James e Ronald Freeman nos 400 metros rasos.

Esses atletas, representantes do “Black Power”, manifestavam seu repúdio ao preconceito racial nos Estados Unidos.

Depois de conquistar quatro ouros na ginástica, sendo três sobre atletas soviéticas, a tcheca Vera Caslávska no pódio, ao ouvir o hino da URSS, ergueu o rosto e virou de costas para a bandeira das adversárias.

Vera apresentava seu protesto contra a invasão da Tchecoslováquia pelas tropas soviéticas. O episódio que ficou conhecido como “Primavera de Praga”.

Mais um atleta brasileiro brilhava no salto triplo numa olimpíada. Nelson Prudêncio conquistou a prata, saltando 17,27 metros. A marca de Nelson foi superada no último salto do soviético Viktor Saneyev com 17,39 metros.

Conseguimos dois bronzes no México. Servílio de Oliveira no Box e Reinaldo Conrad e Burkhard Cordes na vela, classe flying dutchman.

As duas derrotas para a União Soviética e um revés frente aos Estados Unidos deixaram a seleção brasileira masculina de basquete em 4º lugar. Outra quarta colocação ficou com Sylvio Fiolo nos 100 metros nado de peito.

No dia 5 de setembro de 1972, oito homens vestidos de atletas entraram no prédio da delegação israelense, na Vila Olímpica. O primeiro a ser metralhado foi Moishe Weiber, técnico da luta greco-romana e agente secreto.

O segundo a ser atingido foi o halterofilista Joseph Romano. O árbitro de luta livre Yosef Gutfreund se rendeu. Ele e mais oito membros da delegação de Israel passaram a condição de reféns.

Os terroristas pertenciam ao grupo Setembro Negro. A exigência era a libertação de 200 prisioneiros em Israel. A ação dos terroristas chegou até o aeroporto da cidade, onde houve o confronto com os atiradores de elite. Uma granada jogada no helicóptero, em que o bando fugiria, provocou a explosão da aeronave. Todos morreram.

Novamente, Nelson Prudência chegava ao pódio no salto triplo. Agora com a medalha de bronze no peito.

No judô, Chiaki Ishii, japonês naturalizado brasileiro, conquistou a medalha de bronze.

  • Nelson Prudêncio salta e garante a prata na cidade do México.

F 01 - Nelson Prudencio - salto no México

  • Nelson e o pôster do seu salto de prata.

F 02 - Nelson Prudêncio com o poster do seu salto de prata

  • Chiaki conhecido como o Samurai Brasileiro.

F 03 - ChiakiIshii, o Samurai Brasileiro

  • Chiaki Ishii ganhou a primeira medalha olímpica para o judô brasileiro.

F 04 - Chiak Ishii - Munique 1972