Rumo ao Sol da Meia-Noite – Parte I

Por José Rezende

A estreia do futebol brasileiro em Jogos Olímpicos

 

Em Helsinque, o futebol brasileiro participou pela primeira vez de uma olimpíada. A seleção dirigida por Nilton Cardoso era formada por excelentes jogadores, destacando-se Vavá e Zózimo, futuros bicampeões mundiais, Humberto Tozzi, o goleiro Carlos Alberto Cavalheiro e Evaristo de Macedo, que ficou de fora porque se contundiu.

Na estreia o Brasil venceu a Holanda por 5 a 1. Na segunda partida, ganhamos de Luxemburgo por 2 a 1 e fomos eliminados pela Alemanha Ocidental ao perdermos por 4 a 2.

Os países do leste europeu, politicamente seguidores da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, eram representados por seus principais jogadores. A economia estatizada não permitia a profissionalização desses atletas.

A grande campeã foi a Hungria, país do leste europeu, região de influência soviética, cujo futebol encantou o mundo até o final dos anos 50. Era a geração de Puskas, Kocsis, Czibor, Bosik, Hideguti, Budai. O destaque era o meia Puskas, um dos maiores jogadores da história do futebol mundial.

  • Seleção brasileira que disputou o Jogos Olímpicos de Helsinque: em pé, Mauro, Carlos Alberto, Waldir, Zózimo, Adésio e Edson; agachados, Milton, Humberto, Larry, Vavá e Jansen.

Foto 01 - Seleção Olímpica - 52

  • Jansen, capitão brasileiro, recebe flores antes da partida de estreia diante da Holanda.

Foto 02 - Jansen, capitão brasileiro, o árbitro Bernardi, e o capitão holandês

  • Larry marca de pênalti o segundo gol do Brasil contra a Holanda.

Foto 03 - Larry marca de pênalti contra a Holanda

  • Vavá, Humberto, Larry, Waldir e Mauro vibram após a goleada sobre a Holanda.

Foto 04 - Vavá, Humberto, Larry, Waldir e Jansen vibram após a goleada sobre a Holanda

  • Defesa de Carlos Alberto, observado por Waldir e Zózimo, na partida contra Luxemburgo.

Foto 05 - Defesa de Carlos Alberto, observado por Waldir e Zózimo, na partida contra Luxemburgo